Ter vergonha por ser você mesma?

Esse é mais um texto daqueles desabafos…

Há um ano atrás nessa época tinha acabado de voltar das férias, aproveitei com o marido ❤ e fui para a praia, casa da família dele e aproveitamos bastante.

Corri atras de maiôs pois queria aproveitar o máximo que pudesse o mais confortável possível. Procurei também roupas novas para a viagem mas sempre foi difícil de encontrar. Comprei, viajei e apesar do frio e da chuva entrei na água todos os dias, me sentia tão feliz que não estava nem ai para minhas celulites e estrias a mostra. Era minha época de aproveitar, de curtir, eu merecia.

A um mês atras fizemos uma reunião com toda a minha família paterna. Alugamos uma chácara e em uma das brincadeiras que era para escorregar no sabão colocamos o celular em um lugar estratégico para filmar. Aproveitei, curti e vi as filmagens comigo de costas brincando com o pessoa. Vi novamente as celulites e as estrias ali instaladas.

Percebi que muitas vezes, meninas magrinhas, gordinhas, altas ou baixas deixam de fazer as coisas por sentir vergonha de do corpo que tem, do que elas são, e ai elas perdem partes importantes da vida delas. Vi meninas magras se acusando de gordas apenas para baixar a auto-estima uma das outras.

E ai eu fico pensando, por que ter vergonha por ser você mesma?

20130825_125841

Quando você se envergonha das suas celulites, estrias, do seu nariz torto, de ter um peito maior que o outro, você está tendo vergonha de quem você é, da historia de vida que aquilo te trouxe. Se por um instante algo diferente tivesse acontecido em sua vida naquele instante  você não teria toda carga e aprendizado que você teve.

Quando vi minhas fotos e o vídeo de costas não senti vergonha. Só me senti mais determinada ao meu objetivo, que não é ser uma pessoa perfeita, e sim ser uma pessoa melhor, ser o melhor que eu possa ser.

Algumas meninas me disseram que eu sou muito corajosa por mostrar quem eu sou, mas não posso ter vergonha de mim, isso não faria sentido. Sei que muitas vão dizer que sou feia, largada ou desleixada, e realmente pode ser verdade. Mas ainda assim essa sou eu. E se eu tiver que mudar, seja por vontade minha!

Peso atual: 108,3 kg

Anúncios

Antes da obesidade!

Nunca fui magrinha e sequinha!

Quando eu tinha 16 anos eu era uma garota normal. Tinha em média 62kgs e 1,62 metros de altura . Sempre tive corpão. Bunda grande, coxas grossas mas a cintura era fina.

Não vivia de dietas mas em casa besteiras só entravam uma vez por semana ou a cada quinze dias.

Com 16 anos comecei a trabalhar fora. Mudei meu horário da escola mas como trabalhava e estudava perto de casa fazia tudo na caminhada. 5 minutos até o trabalho e 10 até a escola. Almoçava e jantava em casa. Comia comida, arroz feijão e carne… Salada nunca me agradou muito.

Mas ai comecei a ganhar meu próprio dinheiro, passava no supermercado e comprava as besteiras que tinha vontade a hora que quisesse.

Comecei a namorar e com isso a comer fora constantemente. Pelo menos duas vezes por semana comia fast-food ou besteiras. E ai em 2 anos vi meu peso subir 17 kgs.

Mudei de emprego, viajava para São Paulo pelo menos uma vez na semana e descobri bons restaurantes com um preço legal. Como não tinha esse costume de comer fora aproveitava quando estava por lá.

Eu não percebia como estava engordando. As estrias apareceram e fui ficando “redondinha”. Passei em uma dermatologista ótima da minha região e tratei as benditas por um bom tempo.

Terminei o relacionamento e troquei novamente de emprego.

Passei em um endocrinologista e consegui emagrecer até os 72 kgs tomando aquele remedinho para emagrecer que todo mundo que luta com a balança já tomou, sabe? Estava com o corpo ótimo! Acho que foi a fase que eu me sentia mais bonita. A auto-estima subiu e então conheci meu marido <3. Começamos a sair algumas vezes.

Eu trabalhava em uma empresa que precisava ir de ônibus e demorava em média 1 hora para chegar. De lá ia direto para a faculdade. Então minha rotina normalmente era ir trabalhar sem comer, comia bolachas pela parte da manhã. Almoçava a marmita que eu levava (arroz, feijão e “mistura” e combinávamos de cada dia uma levar a salada para dividir, mas nem sempre eu comia). Durante a tarde comia as bolachas que tinham sobrado e quando chegava na faculdade comia um lanche, salgado, pão de queijo e um refrigerante.

Larguei a faculdade e comecei a fazer algumas caminhadas leves com meu namorado. Não lembro meu peso nesta época mas já estava mais gordinha.

Entrei em outra faculdade, troquei de emprego de novo (e continuo nesse) e a rotina era a mesma. Saia do emprego cedo, ia para casa, dormia e depois ia para a faculdade. Exercícios  não fazia e não me esforçava para comer bem. Nos fins de semana comia fora quase sempre  e ai começamos a comer durante a semana também.

O peso foi aumentando, e quando percebi já estava com mais de 90kgs!

E sabe o que é mais estranho, me olhava no espelho e não me via gorda. Não via esse excesso de peso que a minha mãe pegava no meu pé.

Comecei muitas dietas loucas, tomei de novo aquele remedinho de emagrecer mas não durou por muito tempo.

Me casei pesando 102 kgs, e agora um ano e meio depois estou com 110.

Consegui manter esse peso durante todo esse tempo… intercalando entre 108 e 111… não passa mas não volta também.

Não houve esforço da minha parte para mudar.

Domingo estava em casa e antes de sair para almoçar pedi para o meu marido tirar uma foto do meu cabelo de costas. Queria saber o quanto ele tinha crescido, mas quando vi a foto entrei em choque. Há muito tempo não me via daquela forma. Meu Deus onde eu cheguei?

Só o que conseguia ver eram dobras e muita gordura em excesso! Só olhar a foto ai em baixo (a última) e você vai me entender.

Tomei uma atitude e resolvi mudar de vez. Já tinha mudado alguns hábitos mas agora criei coragem de vez.

Em breve conto quais mudanças estou adotando e quais os resultados.

E eu preciso comprar um espelho grande!

 

Peso atual: 109,08

Clica aqui em baixo pra ver as fotos…

Continuar lendo